Que moeda levar para gastar no Chile, Argentina e Uruguai?

Que moeda levar para gastar no Chile, Argentina e Uruguai?

Booking.com

Gostou? Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Com o real valorizado e cada vez mais brasileiros turistando pelo Chile, Argentina e Uruguai, é fácil trocar reais pelas moedas locais durante a viagem. Casas de câmbio ou até hotéis sempre fazem câmbio de reais.

A moeda brasileira não é muito aceita no comércio desses países (à exceção da Argentina, onde muitos comerciantes tem aceitado real). Por isso, a necessidade do câmbio.

Foi-se o tempo em que tínhamos que levar (necessariamente) dólares para qualquer viagem ao exterior. Na América do Sul, e especialmente no Chile, Argentina e Uruguai, não vale a pena comprar a moeda americana para levá-la na viagem. Em toda operação de câmbio quem perde somos nós… E comprar dólares significa perder duas vezes, de real para dólar e de dólar para pesos. Sem falar no transtorno de ir a uma casa de câmbio duas vezes.

Qual o melhor forma de levar dinheiro para uma viagem ao exterior?

A solução mais tradicional é levar dinheiro em espécie e efetuar o câmbio em casas de câmbio.

Nas capitais e cidades maiores é fácil encontrar lojas de câmbio.

A desvantagem é que o câmbio nem sempre é bom. Nem sempre há uma casa de câmbio perto de onde você está. E nem sempre a casa de câmbio está aberta no horário que você precisa, já que o horário de funcionamento é, em geral, o horário comercial.

No Patio Bellavista em Santiago (Chile), no início do mês de julho/2012, a cotação estava 1 real = 200 pesos chilenos. Foi uma das piores cotações que encontramos.

Cotação Patio Bellavista

Muitas casas de câmbio brasileiras tem à disposição pesos argentinos, chilenos e uruguaios. Em geral, não compensa comprar no Brasil a moeda local, mas é bom pesquisar e comparar. Fiz um simulação com os valores obtidos junto à empresa Cotação, na data de hoje. O peso argetino estava cotado a 0,53 reais. E o peso chileno estava cotado a 0,004692. Em outras palavras, 1 real = 1,886 pesos argentinos ou 1 real = 213 pesos.

Considerando a cotação acima, até compensa comprar peso chileno (mas veja que a cotação para saque em caixa eletrônico ainda é melhor, como consta do item abaixo). O problema é o volume de dinheiro. São muitas notas de pesos chilenos para completar 100 reais…

Com relação ao peso argentino, pela cotação acima, não compensa comprar a moeda argentina do Brasil. Segundo a nossa leitora Andreia Borges, que voltou de Bariloche na semana passava, a cotação por lá era bem melhor: 1 real = 2,15 pesos argentinos. Veja mais detalhes aqui.

Quanto ao peso uruguaio, não obtive cotações recentes; por isso, deixo de tecer considerações. No ano passado, a melhor cotação que encontrei foi 1 real = 11 pesos uruguaios. Os detalhes estão neste post.

A solução mais prática é sacar dinheiro em caixas eletrônicos.

Existem caixas eletrônicos por todos os lados e você não precisa se preocupar com o câmbio. Além de praticidade, as taxas de câmbio costumam ser melhores do que em casas de câmbio.

Para efetuar saques no exterior é necessário ter um cartão de crédito ou débito internacional com função habilitada para uso no exterior. Não são todos os terminais de auto-atendimento que admitem o saque de turistas estrangeiros. Procure os selos da rede Plus (portadores de cartão Visa) ou Cirrus (portadores de cartão Mastercard), como na foto abaixo.

Caixa Automático Caixa Automático

Dê preferência para a utilização de cartões de débito e efetue o saque da conta corrente (e não do cartão de crédito) para pagar taxa de IOF mais barata: 0,38%.

Em alguns bancos, como o Banco do Brasil, é preciso ter cuidado com cartões que tenham simultaneamente a função de débito e crédito. Já aconteceu de selecionarmos a opção débito no caixa eletrônico e o gasto vir debitado do cartão de crédito, implicando cobrança de 6,38% de IOF. Para evitar esses problemas, peça ao seu gerente para cancelar temporariamente a função crédito do cartão para efetuar os saques. O único problema é que muitas vezes o cartão exclusivamente de débito não é aceito em alguns estabelecimento na hora de fazer compras. Para evitar problemas, tenha dois cartões: um na função débito e outro na função crédito.

Na hora de sacar o dinheiro do caixa eletrônico, selecione a opção “estrangeiro” e siga os procedimentos indicados. Há versão em inglês e espanhol. É bem simples.

Importante: A cada saque em caixas eletrônicos no exterior é cobrada uma taxa adicional pela transação. No Chile, a taxa cobrada é de $ 3.000 pesos, cerca de R$ 12. Por isso, efetue saques de valores maiores, ao invés de saques picados.

No início do mês de julho/2012, efetuei um saque no Chile de $ 200.000 pesos em um caixa eletrônico. O débito na conta corrente foi de R$ 878, 32, além de R$ 12 de taxa e R$ 3,33 de IOF. Não sou boa de conta, mas acredito que o câmbio foi o de aproximadamente 1 real = 227 pesos chilenos. Cotação bem melhor do que a da casa de câmbio do shopping Patio Bellavista.

A maioria dos caixas eletrônicos tem limite máximo de saque diário. Preste atenção nisso…

A solução que mais acumula milhagem é o cartão de crédito.

É extremamente cômodo fazer compras no exterior usando um cartão de crédito. Você não precisa se preocupar com nada, a não ser com o rombo no final do mês…

As grandes desvantagens são a variação cambial (você nunca sabe ao certo qual será o tamanho do rombo) e o alto valor do IOF: um acréscimo de 6,38% sobre todas as compras.

É preciso fazer as contas para ver se compensa utilizar o cartão de crédito para receber as milhas.

A solução mais cômoda e segura é utilizar o cartão travel money.

Esses cartões são comprados e/ou recarregados em algumas instituições financeiras. A comodidade é que você não precisa ficar carregando dinheiro em espécie e já sabe de antemão qual será a taxa de câmbio, sendo também o IOF mais barato no ato da compra/recarga.

A desvantagem é que, por ser um cartão pré-pago, você tem que disponibilizar todo o dinheiro na compra/recarga do cartão. Caso não utilize todo o valor, a cotação para devolução do dinheiro é bem ruim.

No caso de viagem na América do Sul, vale à pena utilizar esse serviço pré-pago se a compra/carga já vier diretamente na moeda local (não em dólar).

A nossa sugestão?

Diversifique. Dê preferência para saques em caixas eletrônicos, mas leve também um pouco de dinheiro em espécie para eventuais emergências. Tenha ainda um cartão de crédito ou um cartão travel money para pagar as despesas maiores ou para eventuais emergências.

Dicas importantes:

– O câmbio no aeroporto é sempre ruim. Se for fazer câmbio, troque o mínimo de dinheiro possível. Dê preferência para efetuar saque diretamente de sua conta corrente em um caixa eletrônico.

– Casas de câmbio em shoppings são como facas de dois gumes. Se por um lado há a comodidade e segurança, por outros a cotação costuma ser pior do que outras casas de câmbio. Em Buenos Aires, a pior cotação que vi foi na Galerias Pacífico. Em Santiago, a cotação do Patio Bellavista também não era das melhores.

– A cada saque em caixa eletrônico no exterior é cobrada uma taxa adicional pela transação. Evite, portanto, os saques picados.

– Segundo a Lei de Murphy, imprevistos sempre acontecem. Não ande nas ruas com todos os seus cartões, nem com todo o dinheiro. Anote o número dos seus cartões e deixe em lugar seguro, para facilitar o cancelamento em caso de extravio. Sempre tenha uma reserva de dinheiro para emergências.

Gostou? Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

57 respostas

  1. Anna, muito boas as suas dicas!

    Realmente, a cotação de aeroporto é muito ruim.

    Para Bariloche levei dinheiro em espécie e troquei na loja da r. Mitre, troquei um pouco na casa de câmbio também. Tentei usar mais dinheiro em espécie para não pagar IOF. Mas utilizei um pouquinho o cartão de crédito também… bjs

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    julho 25th, 2012

    Obrigada Andreia pelos elogios e pela contribuição de como vc levou o dinheiro para gastar por lá!! 😀

    Responder

  2. Boas dicas!
    A sugestão do saque internacional é a melhor, especialmente no Chile.
    Em Lima, no Peru, tb é possível fazer conversão de real pra sol e cotação no aeroporto é, estranhamente, melhor que no centro. Por outro lado, o saque internacional lá não é tão vantajoso. O limite de saque nos caixas automáticos é bem baixo.

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    julho 26th, 2012

    Olá João!
    Muito obrigada pelas suas dicas!!!
    No Chile, o limite para saque no caixa eletrônico era razoável. Salvo engano, era $200.000 pesos chilenos, algo em torno de R$ 870.
    Bjs, Anna Bárbara

    Responder

  3. Anna,
    Seu blog é bem útil com informações valiosas.
    Minha dúvida é a seguinte:
    Quando faço um saque da conta corrente em moeda estrangeira, eu informo o valor da moeda local do país (Buenos Aires = Pesos Argetinos; Santiago = Pesos Chilenos), ou informo o valor em dólares e o sistema entrega a moeda local com a conversão do dolar do dia?
    Vou a BUE e SCL em Agosto e estou diversificando as formas de levar moeda.
    Levarei dolares para despesas de urgencia e pagamento do hotel no SCL a fim de não pagar o IVA (imposto), levarei Reais para cambio em BUE, e estou pensando em realizar saque em moeda estrangeira em SCL, pelo que vi vale mais a pena do que levar Real para cambiar.
    O cartão de crédito ficaria para uma urgencia ou gastos adicionais não previstos.
    Só tenho a dúvida quanto ao saque em moeda estrangeira, como fazê-lo.

    Abraços

    Janaína

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    julho 28th, 2012

    Olá Janaina!
    Quando vc efetua os saques no exterior, é necessário informar o valor do saque na moeda local do país onde estiver. O próprio sistema faz a conversão e o débito já aparece na sua conta em reais.
    Em Santiago, para saber o valor em reais de uma forma simplificada, tire 3 zeros e multiplique por 4.
    Acho que a forma que está pretendendo levar o dinheiro está bem legal e bem diversificada. Assim, dá até para vc verificar na hora qual o câmbio está compensando mais…
    Obrigada pelos elogios!!!
    Bjs, Anna

    Responder

  4. estou pensando em ir ao Uruguai, Argentina e Chile. Não pretendo fazer compras nem noitadas. Quanto devo levar para o dia a dia? Alimentação, transporte e outros deslocamentos?

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    julho 31st, 2012

    Olá João!
    Infelizmente não tenho como dizer um média de gastos nas viagens. Acho dificil ter uma estimativa, já que os gastos são muito diferentes de pessoa para pessoa. Táxi, ônibus ou metrô? Sanduíche de rua ou o melhor restaurante da cidade? Enfim, as variáveis são muitas… Prefiro não dar um valor, pois, na verdade, não passaria de um chute…
    Para auxiliar, dê uma olhada nos posts que já escrevemos sobre esses lugares. Em geral, anotamos o preço dos pratos que pedimos e também alguns gastos com táxis e outros deslocamentos. Assim, dá para vc tirar uma média.
    Bjs, Anna

    Responder

  5. Eu e minha imrã vamos ao chile em maio e gostaria de saber quantos pesos chilenos temos que ter para entrar no pais.

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    outubro 27th, 2012

    Olá Hilca!
    Ao que eu sabia, não existe valor mínimo de pesos que vc tem que ter para entrar no Chile.
    Aliás, nem levei pesos chilenos comigo… Levei apenas um pouco de real e cartões de crédito e débito.
    Bjs, Anna

    Responder

  6. Oi Anna, seu blog é fantástico !
    Semana que vem, meu irmão e eu iremos à Buenos Aires, Montevideo e colonia de sacramento. Estamos pensando em levar somente o real. Achas vantajoso ? Estou com dúvidas…
    Obrigada

    Responder

  7. Olá Carla!!
    Obrigada pelo elogio!!
    Como eu disse no post, na minha opinião, a melhor solução é diversificar. Dê preferência para saques em caixas eletrônicos, mas leve também um pouco de dinheiro em espécie para eventuais emergências. Tenha ainda um cartão de crédito ou um cartão travel money para pagar as despesas maiores ou para eventuais emergências.
    Bjs, Anna

    Responder

  8. Oi ana, adorei suas dicas!
    meu marido e uns amigos estamos querendo ir a bariloche, minha duvida é: ir por agencia de viagem ou particular? qual fica mais em conta???
    bjs

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    janeiro 7th, 2013

    Olá Ana Celia!
    Com tantos sites de promoção de passagens aéreas, acho que compensa mais viajar por conta própria. Porém, para isso, é necessário ficar atenta às promoções e também ter paciência para montar todo o roteiro da viagem.
    De qualquer forma, vale consultar os dois e depois decidir o que fica melhor!
    Bjs, Anna

    Responder

  9. Anna, boa noite.
    Nos freeshoppings dos aerportos de Ezeiza (Buenos Aires) e de Carrasco (Montevidéu) qual a melhor forma de pagamento que vc recomenda e/ou que eles aceitam: dólares, reias ou cartão de crédito?
    Abç

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    janeiro 17th, 2013

    Olá Luiz!
    Se não me falha a memória, no Duty Free de Buenos Aires e Santiago só dá para efetuar o pagamento em dólar ou em peso. Não lembro de ter a opção de pagar com notas de real (cash).
    Se optar em pagar com cartão, em geral, há a opção de escolher o pagamento na moeda local ou em real…. Vc pode escolher.
    Veja a cotação e analise qual moeda compensa mais para fazer o pagamento. Isso varia muito, a depender do câmbio.
    Bjs, Anna

    Responder

    Luiz Respondeu:
    janeiro 17th, 2013

    Tá ótimo, Anna, e obrigado pela sua atenção.
    Tks.

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    janeiro 17th, 2013

    De nada, Luiz!! 😉
    Bjs, Anna

  10. OLÁ ANA VOU PARA O CHILE SEMANA QUE VEM E GOSTARIA DA SUA OPINIÃO SOBRE O QUE LEVAR DE MOEDA ,OU VC ACHA QUE DEVO LEVAR E TROCAR LA NA CASA DE CAMBIO ?BJINHOS OBRIGADO PATRICIA

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    janeiro 17th, 2013

    Olá Patricia!
    Como eu disse no texto, "dê preferência para saques em caixas eletrônicos, mas leve também um pouco de dinheiro em espécie para eventuais emergências. Tenha ainda um cartão de crédito ou um cartão travel money para pagar as despesas maiores ou para eventuais emergências."
    Bjs, Anna

    Responder

  11. Apenas um adendo, no texto diz que nossa moeda não é aceita nesses países. Porém estive em Buenos Aires em Maio/2012 e o Real (R$) é aceito em muitos comércios, inclusive com uma cotação muito melhor que nas casas de câmbios.
    Acredito ser interessante levar sim um pouco de Real, e se tiver Dólar também, pois a cotação é melhor ainda no comércio.

    Responder

  12. OI Ana Boa noite,
    Estou pensando em ir a Santiagoe no Chile, preciso de algumas dicas principalmente com idioma como faço para me virar neste pais, não falo espanhol…..

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    fevereiro 26th, 2013

    Ola Vinicius!
    Não precisa se preocupar. Dá para usar o portunhol para se virar!
    Além disso, os chilenos já estão acostumados com a invasão dos brasileiros. No último caso, se não der nada certo, a mímica salva!!! rsrsrs
    Bjs, Anna

    Responder

  13. Anna, estou programando uma viagem para Buenos Aires, entretanto, estou preocupado em virtude da crise econômica.
    Será que não há problemas ou seria melhor ir para Santiago, por exemplo??
    Mais uma pergunta, é possível unir Buenos aires e bariloche em uma mesma viagem??
    Desde já agradeço.

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    março 20th, 2013

    Olá Diogo!
    Infelizmente não sei dizer como está a situação atual na Argentina….
    Dá sim para combinar uma viagem para Buenos Aires e Bariloche de uma só vez.
    Santiago também é uma ótima opção.
    Bjs, Anna

    Responder

  14. Anna, em janeiro deste ano (2013) estive na Argentina. Optei por levar a maior parte em dinheiro no VTM e peso argentino… Perdi MUITO dinheiro. A tecnologia usada nos VTM não é compreens´´ivel por muitas máquinas de cartões de lá… tentei em várias lojas/restaurantes e poucos aceitavam. Tive que sacar de 1.000 em 1.000 pesos e, com isso, era cobrada uma taxa de quase 20 pesos por transação. Além disso, todas as lojas/restaurantes que passei aceitavam reais por melhor cotação que qualquer casa de cambio… na próxima, só levarei reais. Estou indo para o Chile e junho próximo e, pela experiência vivida, estou receosa em fazer VTM, apesar da recomendação de minha agente de viagem.

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    abril 10th, 2013

    Olá Anna Claudia!
    Sério que teve problema para usar o cartão travel money?! Que ruim…. Eu levei para o Chile, México, Japão e EUA e nunca tive problema.
    Ouvi mesmo dizer que a situação da crise na Argentina está bem difícil e que o real e o dólar estão supervalorizados. Se fosse hoje para a Argentina, eu também levaria mais real (e um cartão de crédito ou travel money só por garantia).
    Com relação ao Chile, acho que vc pode levar um pouco de cada. Eu gostei bastante de ter efetuado saques diretamente da minha conta corrente. Achei que foi um bom negócio.
    Obrigada pelo feedback! 🙂
    Bjs, Anna

    Responder

  15. Anna, onde me aconselha a compra um cartão travel money ? aqui no brasil ou lá no Chile, (SANTIAGO) ? você sabe quanto custa a operação, e taxa pra retirar um ?

    Responder

  16. Olá John!
    Nas minhas últimas viagens, depois da cobrança do IOF do cartão de crédito, tenho optado por levar o cartão travel money. Gostei sim. Até agora não tive problemas.
    Vc deve comprar aqui no Brasil em uma casa de câmbio. Entre em contato com algumas casas de câmbio para verificar os custos. Em geral, a tarifa de câmbio é melhor do que para tirar dinheiro (cash).
    Bjs, Anna

    Responder

  17. Oi Anna, estou indo para o Chile e levarei cartões de débito habilitados para saque, e levarei um travel money, verifiquei em alguns sites que o cartão pode ser carregado com dolar americano, ou euro.
    No caso do Chile é vantagem eu levar o travel money com dolar e sacar em pesos, pois acho que não tem como carregar o VTM aqui no Brasil com CLP.
    Ficarei 8 dias no Atacama e 6 em Santiago, em relação a San Pedro você acha melhor levar dinheiro em espécie para as despesas como alimentação e passeios, ou o VTM e cartão de débito já da conta das despesas.

    Muito obrigada e adorei seu site.

    Bjs.. Viviane

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    abril 20th, 2013

    Oi Viviane!
    Meu conselho é que vc leve um cartão de débito ou um cartão travel money carregado com dólar.
    Com relação ao Atacama, tive muita dificuldade para efetuar pagamentos em cartão. Não sei as coisas melhoram de 2010 (quando fui) para cá. De qualquer, para não correr risco, eu levaria dinheiro em cash para o Atacama.
    Bjs, Anna

    Responder

  18. Oi Anna,

    Eu e minha família estamos indo para Santiago em agosto. Gostaria que me orientasse quanto ao IVA. Ouvi falar se pagarmos as contas com pesos chilenos ou dólar ficamos isento dessa taxa. É isso mesmo? Em hotel também é cobrada essa taxa?

    Responder

  19. Anna, vc conseguiu sacar dinheiro do caixa eletrônico com cartão de debito em Montevidéu? Vou para la em novembro, porém fui ano passado e nao conseguir fazer o saque, só deu certo com o cartão de credito, o que nao compensa… Tive problemas pra sacar no Peru Tbm…

    Responder

  20. Olá Roberta!
    Não lembro se efetuei saque com o cartão de débito…
    Lembro que no Chile tive que cancelar a função crédito do cartão, para aí conseguir utilizar a modalidade débito… Vai entender o trabalho…
    Depois me conte se deu certo.
    Bjs, Anna

    Responder

  21. eu paguei em pesos em Buenos Aires, mas eles fazem a conversão para dolar, isso desvaloriza, mas como não valia a pena trazer para o Brasil para troca aproveitei comprar.

    Responder

  22. Ola vou a montevideo em fevereiro de 2014. Estou fazendo uma dieta em que tomo shakes para substituir uma refeição. Teria algum problema levar estes saches para uma viagem internacional. Estava pensando em deixá-los na mala. Qual a melhor orientação. Os saches são identificados e fechados hermeticamente tendo a marcada Herbalife escrito neles. Desde já agradeç oa orientação.

    Responder

  23. Anna, vou ao Uruguai e gostaria de saber qual o cálculo devo fazer para saber se é mais vantajoso usar o dólar que já comprei ou utilizar o câmbio que alguns estabelecimentos oferecem para o real. Que conta devo fazer? Vc conhece algum app que facilite minha vida?! 1 abç

    Responder

  24. Ana,

    Estou apaixonada pelo seu site, não consigo parar de ler suas dicas e viagens.
    Vou para Buenos Aires e Uruguay em janeiro/15 e estou com a seguinte dúvida: como guardar o dinheiro? Levo ele comigo pelos passeios? Já me disseram que não devo confiar no cofre do hotel/hostel ? Qual sua sugestão?
    Obrigada.
    Bjs

    Responder

  25. Olá Andreia!
    Fico muito feliz em saber que vc está curtindo nossas dicas!! 😀
    Eu sempre guardo meu dinheiro e passaporte nos cofres do hotel. Até hoje não tive nenhum problema. Acho mais seguro do que andar com todo o dinheiro na bolsa.
    Meu conselho é reservar um hotel ou hostel confiável, para não ter problemas.
    BJs, Anna

    Responder

  26. Ola Anna, estou indo para Punta Arenas no Chile no mês que vem. Seria interessante eu levar reais e trocar o mesmo por pesos chilenos lá em Punta Arenas mesmo? Grato, parabéns pelo blog.

    Responder

  27. Pra Argentina nas grandes cidades como BsAs, Rosário e Cordoba, existem cambistas brasileiros muito bons, e eles pagam uma cotação expressivamente superior. Leve Reais vivos, valem mais.

    Moro em Rosário e aqui os cambistas trabalham até com transferência.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias
Booking.com
Posts Recentes