Caminhos de Pedra: a rota dos imigrantes italianos pela Serra Gaúcha

Caminhos de Pedra: a rota dos imigrantes italianos pela Serra Gaúcha

Gostou? Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

A cidade gaúcha de Bento Gonçalves é extremamente famosa pelos seus vinhedos. Ali são produzidos alguns dos melhores rótulos de vinhos e espumantes nacionais. Tudo isso graças aos imigrantes italianos que desembarcaram na região e começaram a cultivar uvas e a produzir vinhos.

Atualmente, a rota onde muitos imigrantes italianos fixaram residência foi transformada em roteiro turístico, além de declarada patrimônio histórico e cultural do Rio Grande do Sul. É a rota Caminhos de Pedra.

O roteiro turístico tem cerca de 12 km de extensão e fica na área rural do município de Bento Gonçalves. Ali é possível encontrar tradicionais casas de pedras, pequenas vinícolas e casas coloniais transformadas em espaços gastronômicos. É um verdadeiro mergulho na herança cultural italiana, com direito a vinhos, tarantela e paisagens bucólicas.

As paisagens, aliás, são tão bonitas que já lhe renderam o apelido de “Toscana Brasileira”.

Caminhos de PedraCaminhos de PedraCaminhos de PedraCaminhos de PedrasBento Gonçalves

Ao longo da rota há pontos para observação, onde é possível apenas observar o projeto arquitetônico local, e pontos para visitação, onde o turista visita o local e participa de degustações e atividades.

Todos os pontos turísticos são sinalizados com placas, o que facilita a identificação no mapa distribuído no ponto de informações turísticas do Posto de Combustíveis do Barracão, localizado no ínicio da rota.

Comece o passeio degustando os doces da Casa dos Doces Pedrebom. Os doces de frutas são produzidos ali mesmo e as frutas cultivadas no local. Recomendo o de uva e o de figo.

Caminhos de Pedra

De volta à estrada, siga para o Atelier João Bez Batti, onde é possível admirar esculturas principalmente em basalto, uma pedra comum na região. Para visitar a galeria é necessário o pagamento de taxa de visitação de R$ 2,00 por pessoa.

Ali bem próximo fica a Casa do Tomate e o estúdio Foto à antiga. As fotos com roupas de época e os cenários da imigração italiana são tentadoras. Há duas opções de preços, a depender da quantidade de fotos e de variedade de cenários. O pacote completo com cerca de 100 fotos, DVD e vinho com rótulo personalizado custa R$ 150. A opção mais simples custa R$ 100 (os preços são de fevereiro/2012). Se animar, a dica é chegar cedo e, se possível, reservar um horário. Não conseguimos fazer as fotos, pois já havia outras pessoas fotografando e a espera seria longa… O contato pode ser feito pelos telefones (54) 3455 6292, 3451 5965 e 9157-7686, ou pelo email personafotos@yahoo.com.br. O horário de funcionamento é de terça a domingo de 8h30 às 18h.

imageCaminhos de Pedraimage

Na Casa do Tomate é possível aprender como o tomate tem mil e uma utilidades. Ali são vendidos extratos de tomates, geléias, conservas, salgadinhos, bebidas e até cosméticos. Tudo produzido à base de tomate. Mais informações no site Casa do Tomate.

image

Em seguida, continue de carro até a Casa da Ovelha, uma das paradas mais interessantes de toda a rota. Ali funciona uma fazenda, famosa pelos laticínios e também pelo Parque da Ovelha, tudo em um casarão construído em 1917, que mantém suas características originais.

Caminhos de Pedra

Na visita é possível ver uma apresentação de cães-pastores da raça Border Collie conduzindo o rebanho, amamentar as ovelhinhas e até ver como funciona para tosquear as ovelhas. Quem quiser, pode até abraçar as ovelhas! As atrações ocorrem a cada meia hora e, durante a visita, você recebe uma identificação, permitindo que você continue fazendo os passeios da rota e depois, se quiser, retorne.
Casa da Ovelha
Casa da Ovelhaimageimage
Além dos bichinhos, é possível conhecer um pouco mais da história da colonização italiana e também degustar queijos, iogurtes e doce de leite de ovelha. O passeio termina na lojinha onde é possível comprar todos os derivados de leite de ovelha produzidos no local.

Caminhos de PedraCaminhos de Pedra Caminhos de Pedra

Ali também há várias lembrancinhas super fofas. É difícil resistir aos chaveiros e às ovelhinhas de pelúcia.

Caminhos de Pedra

Mais detalhes no site Casa da Ovelha.

Entre um passeio e outro, pare na Salumeria Caminhos de Pedra para provar os embutidos. Adorei o salame de javali. Delícia! Se a sede bater, a cerveja artesanal produzida pela fazenda vizinha é a pedida.Salumeria Caminhos de Pedra
Caminho de Pedras

Na Casa do Artesanato e Casa das Massas, os atrativos são os artesanatos em madeira e as massas típicas italianas. Na Casa da Uva Vitiaceri, os vinhedos ficam bem próximo à pista e, durante a época da colheita (fevereiro a março), o visitante pode colher as uvas no pé, no sistema pegue e pague.

Caminhos de Pedras

Os vinhedos também podem ser visitados na Catina Strapazzon, na Vinícola Savati & Sirena e na Lovara Vinhos Finos. Na Cantina Strapazzon os destaques são a casa de pedra que serviu de cenário para o filme “O Quatrilho” e as lindas roseiras que circundam o parreiral. Na Lovara os vinhos são desenvolvidos em parceria com a vinícola Miolo.

Caminhos de Pedra Caminhos de PedraCaminhos de Pedra

Na hora do almoço, as indicações são o Restaurante Nona Ludia (Casa Bertarello), a  Trattoria del Piacere e o Casa Vanni Espaço Gastronômico. Todos os três têm ótimas referências. Escolhemos o Casa Vanni e foi simplesmente espetacular! Gostamos tanto (tanto, tanto!) que até voltamos no dia seguinte para degustar novamente o filé da casa, mas isso é assunto para um outro post…

Caminhos de Pedra

Deixe para comer a sobremesa na Casa das Pequenas Frutas. Os figos frescos que comemos ali eram incrivelmente doces e suculentos. De novembro a fevereiro, a pedida são as blueberries, framboesas e amoras colhidas diretamente do pé.

Se a ideia for tomar um café, ou melhor, um típico café colonial, o lugar é a Casa Fracalossi.

Para comprar artigos de lã, procure a Casa da Tecelagem e a Casa da Confecção. As mantas, tapetes, casacos e cachecóis costumam ter um bom custo-benefício.

Na Casa da Erva Mate é possível aprender o modo de produção artesanal da erva-mate e também degustar um autêntico chimarrão. A taxa de visitação é de R$ 5,00 por pessoa.

Caminhos de Pedra

No Caminhos de Pedra também há opção de hospedagem. É a pequena e charmosa Pousada Cantelli, onde ficamos hospedados. Veja a review completa aqui: Pousada Cantelli: Hospedagem em uma centenária casa de pedra

Informações úteis

O passeio pelo Caminhos de Pedras dura quase o dia inteiro. O trajeto a ser percorrido de carro é todo asfaltado. Algumas pessoas fazem o trajeto de bicicleta, mas há o grande inconveniente de não ter acostamento na pista.

Como chegar: O roteiro bem sinalizado e o acesso é fácil. Fica a poucos quilômetros do centro de Bento Gonçalves. veja o mapa aqui.

Horário de funcionamento: Em geral, o funcionamento é diário, de 9h às 17h. Contudo, é bom consultar o horário específico de cada estabelecimento antes de ir, pois alguns têm horários diferenciados.

Mais informações sobre a rota Caminhos de Pedra aqui e aqui. Recomendo também o ótimo texto do blog Matraqueando, que nos inspirou a fazer esse passeio.

 

Aproveite para conferir outras dicas de Bento Gonçalves:

  1. Casa Vanni: almoço gourmet no Caminhos de Pedra
  2. Pousada Cantelli: hospedagem em uma centenária casa de pedra
  3. A festa da uva na Serra Gaúcha
  4. A pisa das uvas em Bento Gonçalves
  5. Picnic nos parreirais de Bento Gonçalves
  6. Vinhos na Serra Gaúcha: degustação na Vinícola Salton

Gostou? Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

27 respostas

  1. Ai, que saudades do Caminhos de Pedra! Dá vontade de ir todo o ano! Obrigada pela menção! Bjs!

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    maio 2nd, 2012

    Oi Silvia!!!
    Não poderia deixar de mencionar o Matraqueando!! Seu post me inspirou a conhecer a região de Bento Gonçalves e valeu muuito a pena!!!
    Adorei a rota Caminhos de Pedra e a pequena pousada Cantelli que fica ali mesmo.
    As paisagens são encantadoras, as pessoas simples e simpáticas e a gastronomia deliciosa! Também quero voltar outras vezes!!!
    Bjs, Anna

    Responder

  2. Perfeito! Roteiro de carro pelos Caminhos de Pedra 🙂 Quando visitei, fizemos através de agência, mas de carro é bem melhor. Onde vocês se hospedaram na região?

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    maio 3rd, 2012

    Oi Erika!!!
    Também adorei o Caminhos de Pedra!!
    De carro há a grande vantagem de vc parar onde quiser e pelo tempo que quiser.
    Ficamos hospedados na Pousada Cantelli, a única pousada do roteiro Caminhos de Pedra. É casa antiga de pedra é super pequena (são apenas 3 quartos) e adorável! O atendimento é feito diretamente pelos proprietários e parecia que nós éramos amigos da família. Nos sentimos em casa!
    Conversávamos o tempo todo!! E eles ainda nos fizeram um jantar tipicamente italiano e nos levaram para um piquenique no pôr do sol no vinhedo da propriedade, com direito até a passeio de trator para chegar até lá.
    Foi um espetáculo!! Vou contar mais detalhes em um próximo post!
    Bjs, Anna

    Responder

  3. Somos dos Caminhos de Pedra e especialmente da Casa do Tomate . Acompanhamos seus comentários e agradecemos muito pela parceria realizada nestas edições. Sabemos o quanto a opinião do visitante é importante. A cultura e a hospitalidade são pontos que nos fazem ter orgulho desta terra brasileira.

    Responder

  4. Boa Tarde.

    Achei bastante interessante a rota. Qual é a melhor época para visitá-la. É possível ir caminhando ?

    Obrigada.

    Débora.

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    novembro 5th, 2015

    Olá Débora!
    A rota pode ser feita durante o ano todo.
    No início do ano, há a vantagem de ver os parreirais carregados de uva e participar das colheitas…
    Infelizmente não é possível é caminhando, já que a rota é bem extensa e quase não há calçadas. Recomendo que vc faça de carro mesmo. 🙂
    Bjs, Anna

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    novembro 5th, 2015

    Olá Débora!

    A rota pode ser feita durante o ano todo.

    No início do ano, há a vantagem de ver os parreirais carregados de uva e participar das colheitas…

    Infelizmente não é possível é caminhando, já que a rota é bem extensa e quase não há calçadas. Recomendo que vc faça de carro mesmo. 🙂

    Bjs, Anna

    Responder

  5. Olá Anna, sou proprietária da Casa da Erva-Mate, o valor do post quanto à visitação está incorreto. Nosso valor é de R$5,00 por pessoa. Se puder atualizar agradecemos!

    Boa semana!

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    janeiro 22nd, 2017

    Olá Paula!
    Dados atualizados. 🙂

    Beijos, Anna

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias
Posts Recentes