Bebendo estrelas na Bodegas Chandon

Bebendo estrelas na Bodegas Chandon

Booking.com

Gostou? Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Estou bebendo estrelas! Foi o que exclamou o monge Dom Pérignon ao experimentar a primeira garrafa de champagne. Reza a lenda que Dom Pérignon vivia na cidade de Champagne, na França, e buscava incessantemente criar um vinho de qualidade. O resultado foi a criação do champagne. As borbulhas foram comparadas às estrelas e a bebida, considerada a bebida dos deuses.

Em Mendoza, a Bodegas Chandon é o lugar para conhecer e aprimorar a arte de beber estrelas…

MendozaBodega Chandon

Fotos: Arquivo pessoal

A bodega integra o grupo LVMH (Louis Vuitton S.A. – Moët Hennessy). Foi a primeira filial das Bodegas Chandon fora da França, e mantém o sofisticado perfil do grupo LVMH.

Bodega Chandon Bodega ChandonBodega ChandonBodega ChandonBodega ChandonBodega Chandon

Fotos: Arquivo pessoal

Lá é possível fazer um tour para conhecer a produção dos espumantes e também experimentar o menu degustação, no qual todos os pratos são harmonizados com espumantes.

A visita dura cerca de uma hora e começa com um vídeo explicando a criação do champagne na França. Depois segue com uma rápida visita pelo parreiral até chegar aos tonéis e às caves, onde as garrafas ficam envelhecendo.

Bodega ChandonBodega Chandon Bodega Chandon Bodega ChandonBodega Chandon

Fotos: Arquivo pessoal

Durante a visita é possível entender um pouco mais do método de vinificação, aprender algumas palavras técnicas e rebuscadas em francês, bem como compreender a diferença entre os espumantes Extra Brut, Brut e Demi Sec.

Ao final, há a aguardada degustação de três espumantes, incluindo Chandon Brut Rosé e Chandon Extra Brut.

Mas o ponto alto foi mesmo o menu degustação. Seis pratos, todos harmonizados com espumantes!

Nunca tínhamos experimentado um menu degustação harmonizado com espumantes, só com vinhos. O resultado foi surpreendente.

Bodega ChandonBodega Chandon

Fotos: Arquivo pessoal

Começamos com um carpaccio de salmão com rúcula, alcaparras e grana padano. Para acompanhar, Chandon Extra Brut. Um espetáculo!

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

Na sequência, camarões sobre uma cama de abacate e maça verde. Uma combinação surpreendente!

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

Para dar início aos pratos quentes, empanada de camarão e chimichurri acompanhada de Chandon Brut Natural. Esse espumante tem menos borbulhas e parece um vinho.

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

O prato seguinte foi, na minha opinião, o melhor: mollejas confitadas sobre tomates brûlée. O curioso é que não sabíamos o que eram mollejas e não compreendemos a explicação em espanhol do garçom. Só hoje, depois de uma rápida pesquisa na internet, vi que é algo que eu não experimentaria normalmente. Parece que é miúdos, rins ou algo do gênero… Mas posso dizer que quando experimentei, em um momento sem preconceitos, achei o prato mais interessante. O contraste do tomate levemente adocicado com a carne e a salada estava excelente.

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

Para acompanhar, Baron B Extra Brut, um dos espumantes premium da Bodegas Chandon da Argentina.

Para o prato principal, havia duas opções de escolha: vacío en manteca de tomillo con verduras grill, micro tortilla de papas y chimichurri casero (fraldinha com manteiga de tomilho, verduras grelhadas e pequena torta de batata com chimichurri caseiro) ou

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

braseado de certo con crema de camotes a la vainilla india, zanahorias baby y cabezas de espárragos (carne de porco assada com creme de batata doce e baunilha, cenoura e aspargos).

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

Eu escolhi o braseado de cerdo, que estava divino! Melhor, na minha opinião, do que o vacío.

Para encerrar, uma torta de coco com sorvete de maracujá acompanhada do espumante Baron B Brut Nature.

Bodega Chandon

Foto: Arquivo pessoal

A sobremesa estava bem leve e refrescante. Porém, achei que faltou um pouquinho de pompa na sua apresentação.

Conclusão: o almoço foi indecente de tão bom e de tanta comida! Só o almoço durou umas 3 horas. Depois da comilança, só conseguimos voltar para o hotel para relaxar na varanda, apreciando o parreiral, a Cordilheira nevada e mais algumas taças de vinhos e espumante.

O preço foi igualmente indecente! Ficou 190 pesos por pessoa (sem gorjeta), algo em torno de R$ 80, já incluída a visita, o almoço e todas as bebidas…

No menu degustação não é possível escolher os pratos. Já são previamente definidos e, no nosso caso, houve apenas a opção de escolha do prato principal. Para quem preferir, há a opção de escolha de pratos individuais. Veja as opções do cardápio do dia em que fomos:

Mendoza

Foto: Arquivo pessoal

A crítica fica por conta do atendimento durante o almoço. Só havia um único garçom para atender todas as mesas. Além disso, em determinado momento, o garçom nos trouxe uma garrafa de espumante que não estava gelada, erro crasso para uma bodega especialista no assunto. Reclamamos e o garçom imediatamente trocou a garrafa.

É necessário reservar com antecedência o tour e, especialmente, o almoço na Bodega, pois o restaurante é pequeno. Mais informações pelos sites www.bodegaschandon.com.ar e www.bodegaschandon.com.ar/Alta/index.htm.

Gostou? Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

12 respostas

  1. Oi Deise!!
    Sem dúvida, Mendoza é um lugar que não pode faltar nos roteiros de ninguém…. As comidas são fantásticas, os vinhos de primeira e os preços bem acessíveis! Melhor, impossível!
    Tomara que vc consiga programar mesmo a sua viagem! Bjs, Anna

    Responder

  2. Olá,
    Estou indo para Mendoza agora em dezembro 2012. Voces fizeram a reserva direto na Chandon? Fiz uma cotação na Vintura para visita com degustação na Zuccardi as 11 e almoço na Chandon as 13, igual voces fizeram e o preço dado ja incluso o carro com motorista foi de $195,00 dolares por pessoa, achei bem caro. Voce tem ideia do preço do remis para fazer esse passeio comigo e meu marido? Mandei email para a Chandon e aguardo resposta.

    Responder

  3. Anna, boa noite.

    Estamos indo de Santiago pra Mendoza de carro e gostaríamos de passar em Aconcagua, como é no meio do caminho. Pegaremos o carro em Santiago as 11hs, vc acha que dá tempo?
    O que podemos fazer lá?

    Grato

    Alceu

    Responder

    Anna Bárbara Respondeu:
    março 6th, 2014

    Olá Alceu!
    Infelizmente não sei responder…
    Depois me conta como foi!
    Bjs, Anna

    Responder

  4. Nossa fantástico tudo isso!!!

    Só quero ter o prazer de conhecer esse lugar maravilhoso.

    Deve ser um pedacinho do céu !!!!

    Gostaria que me informasse como deve fazer para conhecer!

    Desde já muito obrigada

    Vera Lucia

    Responder

    Diego Paiva Respondeu:
    dezembro 14th, 2015

    Olá, Vera! É realmente fantástico e prazeroso. 🙂

    Recomendamos entrar em contato com eles no e-mail info@chandon.com.ar e agendar o tour. Uma vez em Mendoza, poderá escolher a melhor forma de locomoção até a vinícola. Se tiver interesse no almoço, não esqueça de avisar no e-mail do agendamento, porque é impossível conseguir uma vaga na hora.

    Abraços!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias
Booking.com
Posts Recentes