Nem só de boa prosa e pão de queijo é feito o final de semana na Capital mineira. Há diversas opções culturais, históricas, gastronômicas e também opções românticas.

Mordomia e romantismo, aliás, não faltam no Royal Golden Hotel. Ficamos hospedados na suíte mais luxuosa do hotel e fomos recebidos com flores, bombons de doce de leite e amenities da marca francesa L’Occitane.

Royal Golden

Royal GoldenRoyal Golden

Os quartos do hotel foram renovados recentemente. E os quartos da categoria luxo superior impressionam pelo espaço e também pela convidativa banheira de hidromassagem na área externa.

Royal Golden

Royal Golden

Royal Golden

Royal Golden Hotel

Royal Golden

Há até espreguiçadeiras e um jardim de inverno!

Royal Golden

A cama de casal é king size e o enxoval da cama é especial.

Royal Golden

O banheiro é pequeno, mas confortável e funcional.

Royal Golden

Há ainda uma mini-copa com microondas e pia de apoio.

Royal Golden Hotel

No segundo andar do hotel, mesmo andar das suítes de luxo, ficam a piscina, a sala de ginástica e a sauna. Para quem curte nadar, a piscina semi-olímpica é um grande atrativo. É difícil encontrar piscinas desse tamanho em hotéis. Pena que não é aquecida.

Royal Golden HotelRoyal Golden Hotel

O café da manhã é servido no mezanino. O lugar do café é claro e bem agradável. Dá para sentar ao lado das grandes janelas para ficar observando o movimento da Savassi. A variedade de itens também agradou muito. Contei uns 5 ou 6 tipos de sucos diferentes…

Royal Golden

Royal Golden

A localização é outro ponto alto do hotel. Fica na rua Rio Grande do Norte, entre as ruas Santa Rita Durão e Cláudio Manoel, bem no burburinho da Savassi. Dá para fazer diversos passeios a pé. O Shopping Pátio Savassi, por exemplo, fica a uma curta caminhada. Para almoçar sem ter que pegar carro, por exemplo, dá para ir caminhando até o tradicional restaurante Maria das Tranças, famoso pelo mineríssimo frango com quiabo.

Enfim, a nossa estadia foi bastante agradável e a equipe do hotel extremamente atenciosa.

Pontos altos:

– Localização excelente, seja para quem viaja a Belo Horizonte a turismo ou a trabalho.

– Os quartos foram reformados recentemente e têm decor moderno. São espaçosos e têm copa com pia de apoio e microondas.

– A banheira de hidromassagem na área externa do quarto inspira romantismo. E o mimo fica por conta dos amenities da marca L’Occitane.

– A equipe do hotel foi extremamente atenciosa. Foram os pequenos detalhes que fizeram a diferença, como as flores e os bombons.

Pontos negativos:

– A academia é pequena e a piscina não é aquecida.

.

As diárias do hotel começam em R$ 170,00. Mais informações no site: http://www.royalgolden.com.br

.

* O Nós no Mundo se hospedou no Royal Golden Hotel a convite da rede Royal Hotéis.

Está pensando em viajar para Moscou, Nova York, Tóquio, Genebra ou Rio de Janeiro? Então é bom já ir preparando o bolso para os gastos com hospedagem.

Segundo a pesquisa realizada pela empresa britânica Hogg Robinson Group, em 2014, a cidade de Moscou, na Rússia, ocupou, pelo décimo ano consecutivo (!), o posto de hospedagem mais cara do mundo. O preço médio de hospedagem na capital russa custa em torno de USD 429, cerca de R$ 965,00.

Praça Vermelha

Nova York aparece na segunda colocação de hospedagem mais cara, seguida por Genebra (Suíça), Zurique (Suíça), Lagos (Nigéria) e Paris (França).

O Brasil também aparece na lista. O Rio de Janeiro ocupa a 8ª posição e a cidade São Paulo ocupa a 28ª posição no ranking de cidades caras para passar a noite.

Rio de Janeiro

Ficou curioso? A lista completa pode ser vista aqui: www.hrgworldwide.com/PublishingImages/Hotel%20Survey/January-2014/Top-55.png

Na pesquisa foram considerados os preços médios das diárias de hotéis (average room rate) nas principais cidades do mundo. Os valores das diárias foram convertidos para libra esterlina, moeda da Inglaterra, local onde fica a sede da empresa responsável pela pesquisa.

Mais informações aqui.

 

Verão na ilha italiana da Sicília é assim: praia, música de qualidade e passeios históricos.

E cabe ao freguês decidir se quer tudo isso junto ou separado.

Como assim?! Eu explico: para quem quer praia, não faltam praias de água morna e transparante para curtir o dia. Para quem quer música, é fácil encontrar algum músico se apresentando pelas ruas. Para quem gosta de história, basta dar uma volta para se encantar com as construções e monumentos antigos.

TaorminaTaorminaTaormina

Para quem preferir tudo junto e misturado – praia, música e passeio histórico, a dica é ir para Taormina e seguir para as ruínas do Teatro Antigo de Taormina (Teatro Antico di Taormina), mais conhecido como Teatro Grego. Há uma certa discussão se o teatro teria sido construído pelos gregos ou ou pelos romanos; porém, o importante mesmo é que o teatro, datado de antes de Cristo, tem uma impressionante vista do mar e do vulcão Etna. Além disso, durante o verão (maio a setembro), o teatro recebe concertos, festivais de cinema, teatro e ballet.

4c7f1db8-9002-4020-95a8-d955a7252020

Foto: Reprodução

Para saber a programação, basta acessar o site: www.taormina.it/2014-events-calendar.html

Os ingressos podem ser adquiridos on line ou na bilheteria localizada na cidade de Taormina. Os preços variam de acordo com o evento e com a posição no teatro (platéia, tribunal, galeria superior numerada e galeria superior não numerada).

Taormina

Compramos os ingressos mais baratos, localizados na galeria superior não numerada, e pagamos cerca de 35 euros por pessoa. Como não há assento marcado nessa categoria de ingresso, a dica é chegar cedo para pegar os melhores lugares.

Taormina

Vimos a apresentação de uma orquestra sinfônica à noite e adoramos! A posição dos nossos assentos era muito boa, apesar de ser na galeria superior.

Teatro GregoTeatro GregoTaorminaTeatro Grego

No Teatro Grego já se apresentaram diversos artistas famosos como Sting, Elton John, Ben Harper… Em maio de 2014, a artista foi a vez da Laura Pausini. Nada mal, hein?!

 

Sultanahmed é o lugar para estar em Istambul!

Ali ficam concentradas as mesquitas e os momunentos mais importantes de Istambul. Basta dar alguns passos para ficar impressionado com a beleza dos quase 2.000 anos de história da cidade. E o melhor jeito de explorar o centro histórico é mesmo a pé. As ruas são planas e a distância entre os principais monumentos é curta.

Palácio Topkapi

Se a caminhada for com guia, melhor ainda. Assim, é possível saber os detalhes da história e, principalmente, as curiosidades dos bastidores, ou melhor, dos haréns, que era a área destinadas às mulheres do sultão.

Essa, aliás, foi a nossa escolha. Optamos pelo o walking tour privado da agência Bonita Tour e só temos elogios a fazer. A agência é local, mas uma das funcionárias, a Fernanda, é brasileira e fizemos todo o contato com ela em português, o que facilitou bastante.

O passeio começou cedo. Às 8:30, o Serah, nosso guia turco, que fala bem português, já estava no hotel. Estávamos hospedados em Sultanahmed e o passeio começou em alto estilo na impressionante Basílica de Santa Sofia.

A Basílica de Santa Sofia, também chamada de AyaSofia ou Hagia Sofia, foi erguida no ano 535, durante o Império Bizantino, para ser a Catedral de Constantinopla. O curioso é que, no século XV, quando Constantinopla foi conquistada pelo Império Otomano, a igreja foi transformada em Mesquita. A partir de então, foram adicionados os minaretes (torres de onde são anunciadas as cinco chamadas diárias à oração) e outros símbolos islâmicos. Hoje, o local foi transformado em museu.

Basilica de Santa SofiaPalácio Topkapi

O tamanho da AyaSofia é impressionante! Até hoje é uma das maiores “basílicas” do mundo. Mesmo em obras de restauração, dá para notar que seu interior é riquíssimo. E o guia nos chamou atenção para várias curiosidades. Como, por exemplo, o fato de as imagens e mosaicos de santos católicas terem sido cobertos por gesso, já que no islamismo é proibido cultuar imagens.

Basilica de Santa Sofia

Ele também mostrou que o antigo altar da igreja foi substituído pelo mihrab, elemento arquitetônico que indica a direção geográfica de Meca e, portanto, a direção em que os muçulmanos devem adotar durante as orações. O interessante é que o mihrab não fica exatamente no centro da antiga igreja, mas sim um pouco mais para a direita, demonstrando claramente que foi acrescentado posteriormente à construção.

Palácio Topkapi

Em seguida, visitamos o Palácio de Topkapi (Topkapı Sarayı), que foi o lar dos sultões otomanos entre os séculos 15 e 19. O lugar é deslumbrante, a começar pelos jardins. Por pouco não vimos as tulipas que enfeitam o jardim. (Aliás, descobrimos durante o tour que as tulipas são originárias da Turquia, apesar de acharmos equivocadamente que eram holandesas). Mesmo assim, as rosas vermelhas não nos decepcionaram.

Palácio TopkapiPalácio Topkapi

O palácio é enorme e tem vários pavilhões. Os cômodos são abertos à visitação e basta dar uma olhadinha para compreender a riqueza dos sultões.

Palácio TopkapiPalácio TopkapiPalácio TopkapiPalácio Topkapi

A área mais famosa do Palácio é, sem dúvida, o hárem. Ali eram desenvolvidas as atividades domésticas do palácio e a organização ficava a cargo da mãe do sultão, que era mais poderosa do que qualquer esposa. As esposas e concumbinas do sultão residiam no harém e não tinham acesso aos demais ambientes do Palácio. A maior parte das mulheres chegava lá como prisioneiras de guerra ou escravas comercializadas. Eram tantas mulheres, que o harém chegou a abrigar mais mil! Com tanta mulher reunida, os funcionários do palácio – os eunucos – eram castrados para garantir que a prole fosse mesmo de filhos do sultão.

Impossível deixar que imaginar as intrigas e lutas pelo poder que ocorriam por ali. Afinal, todas mulheres queriam se tornar a favorita do sultão e garantir que um de seus filhos se tornasse o grande herdeiro.

Palácio Topkapi

Durante a alta temporada (de maio a agosto), a visitação ao palácio fica concorrida. Há filas para comprar o ingresso de entrada (45 TL, cerca de R$ 47, por pessoa, para visitar a área principal e o harém) e também para ingressar em alguns cômodos, como as salas onde ficam guardados os tesouros dos sultões. Como estávamos com guia, não ficamos na fila para comprar ingressos e otimizamos nosso tempo no palácio, pois fomos diretamente aos ambientes mais interessantes.

Palácio de Topkapi

Mesmo com o Palácio lotado de turistas, a parte boa é que dá para descansar com vista para o Estreito de Bósforo! É demais!

Palácio de TopkapiPalácio TopkapiPalácio Topkapi

Quando a fome apertou, seguimos para o restaurante Tria Elegance. O almoço já estava incluído no valor do tour. Confesso que estava um pouco temerosa, pois almoço pré-programados por agências podem ser uma furada. Mas não. Aliás, ocorreu justamente o contrário: o almoço foi sensacional! O restaurante fica em uma rua chamorsa e é super agradável, com mesinhas na calçada.

IstambulIstambul

Experimentamos pratos típicos turcos e adoramos tudo, a começar pela apresentação dos pratos. E o cordeiro estava um espetáculo!

Istambul

De lá, continuamos o passeio pela Mesquita Azul (Sultanahmet Camii). A Mesquita fica posicionada bem em frente à Basílica de Santa Sofia e a “competição” entre as duas é antiga. O sultão Ahmed I queria construir uma mesquita maior, mais imponente e mais bonita do que a Igreja de Santa Sofia. Se ele conseguiu, deixo a decisão para cada um. Porém, posso dizer que a praça que circunda a AyaSofia e a Mesquita Azul é, sem dúvida, uma das mais bonitas do mundo!

IstambulIstambulIstambul

Para ingressar na Mesquita Azul, não é necessário pagar. Entretanto, há horários específicos para visitação, justamente para não atrapalhar as orações. Também há regras rígidas quanto às vestimentas: nada de roupas curtas. E, para as mulheres, lenço cobrindo a cabeça e braços. Na hora de entrar, é necessário retirar os sapatos e fazer silêncio.

IstambulIstambul

Os mulçumanos, como nos chamou a atenção o guia, antes de entrarem nas mesquitas, se dirigem aos lavatórios localizados na parte externa das mesquitas, para se purificarem. Lá eles sentam, lavam os pés, o rosto, os braços e as mãos. Só depois desse ritual é que eles estão prontos para começar as orações.

Istambul

No interior da Mesquita não há bancos ou imagens religiosas. As orações são feitas de joelhos com a cabeça voltada para a direção geográfica da cidade de Meca. A beleza da Mesquita Azul fica por conta do contraste entre o gigantesco tapete vermelho todo bordado com azulejos azuis e vitrais azuis, que dão nome à mesquita. É belíssimo!

Istambul

Depois de uma passada rápida pelo Hipódromo (local onde ocorriam as corridas de bigas e hoje abriga um praça com direito até a um obelisco datado de 1490 a.C. trazido do Egito), decidimos alterar os planos e visitamos a a Cisterna da Basílica (Yerebatan Sarnici). Aliás, quem leu o último livro do Dan BrownInferno – vai entender a minha curiosidade…. A entrada à cisterna não estava incluída no tour e, por isso, tivemos que pagar o ingresso. O bom é que não ficamos na fila, porque o guia pode comprar o ingresso diretamente no caixa. E ele nos acompanhou na cisterna e ainda contou algumas curiosidades de lá.

Istambul

Nossa última visita foi ao Grand Bazzar (Kapalıçarşı), um dos maiores mercados cobertos do mundo. Se prepare, pois são ruas e ruas com diversas lojinhas vendendos doces, especiarias, jóias e outros produtos típicos. Dá vontade de comprar tudo! Mas lembre-se de comparar os preços e pechinchar sempre.

Istambul

Pontos altos do tour:

– Como fizemos o tour privado, o guia ficou por nossa conta. Assim, seguimos no nosso ritmo.

– Não tivemos que enfrentar fila em nenhum dos pontos turísticos, pois que o guia já havia providenciado os ingressos. E olha que, em alguns locais, a fila para comprar ingresso era bem grande.

– O roteiro foi bem flexível. Por exemplo, optamos por reduzir o passeio no Grand Bazaar, para podermos conhecer a Cisterna da Basílica, que não estava incluída no passeio.

– O nosso guia turístico, e principalmente a Fernanda, a brasileira da agência de viagens, foram tão (tão tão) simpáticos que fizemos amizade com ele. Aliás, convidamos a Fernanda outras duas ou três vezes para jantar. Foi super divertido! Ela nos levou a restaurantes onde os locais realmente comem e ainda nos contou um pouquinho de como é viver em Istambul. Essa interação com a Fernanda foi um super plus no walking tour. Adorei!! Recomendo!

 

Pontos negativos:

– O tour começou às 8h30 e terminou por volta de 17h30. Então tem que ter disposição!

 

Informações úteis:

Fizemos o tour com a agência Bonita Tour. O site é http://www.tourbonita.com. O contato pode ser feito pelo email: [email protected] , em português.

Istambul

O valor do tour privado varia de 60 a 100 euros por pessoa, a depender da época do ano. No preço estão incluídos os ingressos para visita aos monumentos pagos, além do almoço (sem bebidas) e guia em português. O walking tour inclui visita à Mesquıta Azul, Basílica Santa Sofıa, Hipódromo, Palácio Topkapı e Grand Bazaar.

 

Se você estava aguardando uma oportunidade para conhecer a capital de Goiás, ela acabou de chegar! Com a promoção do hotel Mercure Goiânia, você reserva três noites e só paga duas. Quer mais? Se você for associado Le Club, o café da manhã é cortesia e você ainda ganha +200 pontos de bônus na estadia. Imperdível!

Mercure Goiânia - Foto Divulgação

Os hotéis Mercure fazem parte da rede francesa Accor, com hotéis no mundo inteiro. Eles são mundialmente conhecidos por terem padrão 3 e 4 estrelas, com amplos apartamentos estilo flat. Costumam ter cozinhas completas e são ótimos para executivos com estadias de longa duração e famílias.

Mercure Goiânia - Foto Divulgação

Mercure Goiânia é um hotel 4 estrelas e está localizado no Setor Oeste, com fácil acesso para as principais praças e parques da cidade, como o Bosque dos Buritis e o Lago das Rosas (Zoológico de Goiânia), que estão a uma curta caminhada do hotel, além do lindo Parque Flamboyant e o Parque Vaca Brava. Há também diversas opções de compras, como shoppings e feiras – do Sol e da Lua – que são famosas e atraem pessoas de todo o Centro-Oeste.

Mercure Goiânia - Foto Divulgação

Inaugurado em 2012, o Mercure Goiânia já está de acordo com a nova padronização mundial da rede, com quartos bem iluminados, mobiliário com acabamento premium e equipamentos modernos. Academia completa e os restaurantes Pipa – apenas para o café da manhã – e Coralina – de culinária internacional, com tempero e ingredientes goianos – completam a lista de lazer e serviços do hotel.

Mercure Goiânia - Foto Divulgação

Para reservar a sua estadia e ter mais informações sobre a promoção, acesse o link: http://www.mercure.com/hotel-cms/pt-br/hotel-offers/3039.shtml

As reservas podem ser feitas até o dia 27 de Agosto de 2014, para hospedagens até o dia 30 de Setembro de 2014.

Mercure Goiânia
Av. República do Líbano, 1613 – Setor Oeste – Goiânia / Goiás.
Tel.: (+55) 62 3605-7555

Selo Post Patrocinado

Pois é. Até alguns dias atrás nunca havia me aventurado em alto-mar. Talvez porque não tinha encontrado ainda o roteiro dos sonhos. Talvez também porque tinha um certo receio de ficar enjoada ou entendiada durante a viagem (aqueles típicos pré-conceitos de quem nunca subiu a bordo num navio).

A convite da MSC Cruzeiros, parti em um mini-cruzeiro saindo do Rio de Janeiro com destino a Santos, a bordo do MSC Divina.

MSC DivinaMSC Divina

Agora no mês de julho foi a primeira vez que o navio MSC Divina atracou no Brasil. E o motivo: a Copa do Mundo. É que o navio foi fretado por torcedores mexicanos para acompanharem de perto sua seleção, com paradas em pontos estratégicos para assistirem ao vivo aos jogos.

Considerado o navio mais luxuoso da rede MSC, o MSC Divina tem números impressionantes: 18 andares, 27 mil metros quadrados de área comum, 20 bares, 7 restaurantes, sendo 2 da rede Eataly (lembra aquele de Nova York? Veja aqui), 4 piscinas, e capacidade para mais de 4.300 hóspedes.

MSC DivinaMSC DivinaMSC DivinaMSC DivinaMsc DivinaMSC DivinaMSC DivinaMSC DivinaMSC Divina

MSC Divina

Tem até escada de cristais Swarovski!

MSC Divina

A cabine com varanda parece um hotel de luxo…

MSC DivinaMSC DivinaMSC DivinaMSC DivinaMSC DivinaMSC Divina

Para passar o tempo, há inúmeras opções. Além das piscinas e jacuzzis, tem mesas de ping-pong e pebolim,

MSC Divina

cassino,

MSC Divina

boliche,

MSC Divina

quadra de esportes,

MSC Divina

cinema 4D,

MSC Divina

spa com autênticas massagistas balinesas,

MSC Divina

além de fliperama, teatro, discoteca, academia de ginástica…

Para quem gosta de exclusividade, o navio conta também com serviços de primeira classe, chamados por lá de MSC Yacht Club. As cabines dessa classe são mais luxuosas (tem banheira com hidromasssagem, Nitendo Wii e cesta de frutas com champagne de welcome on board) e há serviços exclusivos, como, por exemplo, check in e check out prioritários, mordomo para desmontar e arrumar as malas, além de piscinas e restaurantes exclusivos.

MSC DivinaMSC Divina

Enfim, minha primeira viagem de cruzeiro foi curtíssima. Gostei bastante e confesso que o navio superou as minhas expectativas, com exceção do desembarque que demorou além do esperado. Fiquei com aquele gostinho de quero mais…