Canadá: de carro pela estrada mais bonita do mundo

Há um ditado que diz que “a melhor parte de uma viagem é o caminho, não o destino.” Confesso que nunca entendi muito bem. Mas isso foi até conhecer a região das Montanhas Rochosas, na costa oeste do Canadá, onde a estrada não é uma mera estrada, é a verdadeira protagonista.

Para muitos, a rodovia Icefields Parkway (Highway 93 North), que cruza os parques ecológicos Banff National Park e Jasper National Park, é uma das estradas mais bonita do mundo. E não é pra menos. Ao longo da rodovia, há montanhas com neve, lagos de água azul turquesa, rios, cachoeiras, geleiras… São tantos elogios que a revista National Greographic já citou esse percurso como sendo uma jornada inesquecível, utilizando o termo inglês “a drive for a lifetime”.

A rodovia, em si, tem apenas 232 quilômetros. E o trajeto poderia ser feito em pouco mais de três horas. No entanto, a ideia é mesmo curtir o caminho, com desvios e paradas para picnics, para admirar a paisagem e para observar curiosamente os animais que volta e meia cruzam a pista. Por isso, reserve pelo menos sete dias para curtir sem pressa a região, de preferência entre os meses de junho a setembro (verão canadense), quando as chances de encontrar dias de sol e temperatura agradável são maiores.

Alugue um carro conversível ou faça como os próprios canadenses e saia de motor home (há diversas lojas especializadas em RV Rentals).  Comece pela cidade de Canmore, próxima ao Banff National Park. A cidade tem pouco mais de 10.000 habitantes e um clima típico de cidade do interior. A rua principal da cidade tem diversas lojinhas e é um graça. Ali ainda não é o começo da Icefields Parkway, mas vale pelo charme da cidade e pelo passeio de barco no Bow River. 

A depender da adrenalina desejada, dá para se jogar rio abaixo de rafting, de caiaque ou em botes infláveis. Estes últimos são os mais tranquilos. Não precisa nem fazer esforço. O guia maneja os remos e você fica tranquilamente só curtindo o visual. Crianças, idosos e até cachorros são super bem-vindos. O passeio com a empresa Canmore Raft Tours custa $ 35 dólares canadenses, por adulto, para o passeio de 1 hora.

Se der sorte, ainda pode participar de festivais de música que acontecem ao ar livre no verão, como o Canmore Folk Music Festival.

De volta ao carro, siga para a cidade de Banff, igualmente charmosa. Se gostar de teleférico, aproveite para visitar a Banff Gôndola ($49 dólares canadenses, por pessoa), onde é possível ter uma vista panorâmica de toda a região. Bem ao lado do teleférico, ficam as termas Banff Upper Hot Spring ($7,30 dólares canadenses, por pessoa), uma grande piscina a céu aberto com vista para as montanhas.

A próxima parada é no Moraine Lake, talvez o lago mais bonito de toda a região. A cor azul turquesa da água é quase surreal. É espetacular! Chegue cedo, por volta de oito horas da manhã, pois os estacionamentos e as trilhas ao redor do lago ficam concorridas.

Ali próximo fica o Lake Louise, o mais famoso dos lagos, e o preferido dos asiáticos. Apesar dos muitos turistas, é possível sim encontrar um lugar vazio e silencioso, especialmente a bordo de um dos vários caiaques disponíveis para aluguel ($75 dólares canadenses, para 2 ou 3 adultos, por meia hora). Se o bolso permitir, hospede-se no luxuoso hotel The Fairmont Chateau Lake Louise.

E, se sobrar tempo, embarque no teléferico Lake Louise Gôndola, que, na minha opinião, tem a melhor vista dentre todos os teleféricos, pois se pode ver, de longe, o Lake Louise.

Antes de seguir até o Jasper National Park, faça um desvio no caminho e conheça o Emerald Lake, no Yoko National Park. Hospede-se no Emerald Lake Lodge, relaxe no ofurô com vista para o lago cor de esmeralda e, antes de voltar para o carro, aventure-se por alguma das trilhas ao redor do lago.

De volta à rodovia Icefields Parkway, faça uma parada para conhecer o Peyto Lake, que, como os demais lagos, é formado pelo degelo das montanhas e a cor indescritível é por conta da refração da luz nos pequenos pedaços de rochas que se encontram na água do degelo. A melhor vista do lago é no mirante Bow Summit, que exige uma caminhada de apenas 10 minutos no meio da floresta. O visual é de tirar o fôlego!

Ao longo da rodovia, há vários lagos, cenários ideais para fotos e picnics. Os canadenses adoram fazer as refeições ao ar livre para curtir o verão. Por isso, não tenha vergonha de carregar a farofa. A estrutura de picnic disponibilizada ao longo dos parques é fantástica. Há diversas “áreas de descanso” (rest areas) ao longo das estradas, sempre equipadas com mesas, banheiros limpos e lixeiras. Em algumas, até churrasqueira!

Quando avistar vários carros parados ao longo da estrada, não se assuste. É um “bear jam”, ou seja, “engarrafamentos causados pelos ursos”. É que os turistas sempre param ao avistar um urso – ou um alce ou bode montanhês ou qualquer espécime da vida selvagem – cruzando as estradas. E logo vários carros param atrás e, alguns curiosos corajosos, até descem para ver tudo mais de perto. Então fique esperto: se vir um carro parado no meio da estrada, pode saber que tem algum animal por lá. Prepare a câmera fotográfica!

Já no Jasper National Park, teste sua coragem ao caminhar sobre uma plataforma de vidro no meio do precipício, a 280 metros do solo. Assim, é a plataforma Glacier Skywalk ($ 32 dólares canadenses por pessoa). Se conseguir desgrudar os olhos do vidro e do rio que fica no precipício, dá para admirar a geleira Athabasca. Dá um pouco de medo, mas quem se importa. É show!

Se preferir caminhar na neve, há a opção de andar sobre o Glaciar Athabasca no passeio chamado Glacier Adventure, à venda no Columbia Icefields Discovery Center, onde também começa o passeio pelo Glacier Skywalk ($94 dólares canadenses, por pessoa).

Chegando na cidade de Jasper, abandone o carro por algumas horas e vá fazer uma trilha. Uma das mais famosas e cenográficas é a Mount Edith Cavell Trail. São quase 5 horas de caminhada, com paradas para muitas fotos. O visual é absolutamente recompensante!

Se ainda tiver fôlego para mais um lago antes de terminar a viagem, vá até o Maligne Lake ($72 dólares canandenses, por pessoa), onde é possível fazer trilhas e também passeio de barco.

Enfim, a melhor parte das Montanhas Rochosas canadenses é mesmo o caminho…

 

* Nossos agradecimentos ao Destination Canada e ao Tourism Vancouver pelo apoio e dicas.

Siga o Nós no Mundo no Twitter: @nosnomundo

Siga o Nós no Mundo no Periscope - @nosnomundo.

No Instagram: @nosnomundo

E curta a nossa fanpage no Facebook: facebook.com/nosnomundo

Planeje sua viagem com a gente

Reserve seu hotel utilizando o Booking.com. Menor preço garantido! Se encontrar tarifa mais barata, eles reembolsam a diferença.

Alugue seu veículo com a RentalCars, a maior empresa on-line de aluguel de carros do mundo, e tenha o menor preço garantido!

Reserve uma casa pelo Airbnb e ganhe desconto no primeiro aluguel.

Compre moeda estrangeira com a Cotação. É seguro e você ganha descontos exclusivos!

* Reservando com os nossos parceiros através do Nós no Mundo, nós recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e, de quebra, ainda ajuda o Nós no Mundo a estar sempre atualizado.

Sobre Anna Bárbara

É louca por viagens! Nem acaba de chegar de uma viagem e já está pensando nas próximas (no plural, é claro!). Tem o passaporte carimbado em mais de 20 países e é apaixonada pela Ásia, ou melhor, por todos os destinos exóticos. Qual a melhor viagem? "Não há dúvida", diz ela, "a melhor viagem é sempre a próxima".

Deixe seu comentário:





* Campos de preenchimento obrigatório

** Ao enviar o seu comentário, você estará automaticamente concordando com a nossa Política de Comentários.