Roteiro de 5 dias em Santiago

1° Dia: O Básico – Visite o Centro Histórico de Santiago

Catedral de Santiago

Catedral de Santiago. Foto: Reprodução

Comece o dia com uma caminhada a partir da Plaza de Armas, uma das principais praças da cidade. Ali é considerado o centro histórico da capital chilena.

Observe os edifícios ao redor da praça, em especial o Correos e a Catedral de Santiago. Observe também as placas de metal no chão da praça que mostram um pouco de como era Santiago no início.

Caminhe até o prédio do antigo Congresso Nacional (Edificio del ex Congreso). O edifício abrigou o Congresso – Senado da República e Câmara dos Deputados – até 1973, quando o Congresso foi fechado pelo golpe militar. Somente em 1990 o Congresso voltou às suas atividades, sendo transferido para a cidade de Valparaíso. Bem em frente ao Edificio del Ex Congresso, fica o belo Palacio de los Tribunais de Justicia de Santiago, em estilo neoclássico, onde funciona a Suprema Corte do Chile.

Depois siga pela Calle Morandé até o Palacio de La Moneda, que é atualmente a sede da Presidência da República do Chile. O edifício foi projetado originalmente para abrigar a Casa da Moeda, quando o Chile era uma colônia espanhola. Em 1845 foi convertido em sede do Governo Chileno e residência oficial de seus presidentes. O prédio foi parcialmente destruído durante o golpe militar de 1973, mas foi reconstruído.

Palacio de La Moneda

Palacio de La Moneda

Repare na porta lateral do Palacio de la Moneda localizada na Calle Morandé, número 80.  Salvador Allende e outros presidentes chilenos tinham o hábito de entrar e sair do palácio por aquele porta em viagens e chegadas fora do protocolo. Com a morte de Salvador Allende no golpe militar, seu corpo foi retirado por aquela porta e Pinochet mandou lacrar aquela porta, numa ato simbólico de sufocar a memória do regime anterior. Somente em 2003, trinta anos após o golpe de estado, a porta foi reaberta.

É possível visitar o interior do Palácio, mas, para tanto, é necessário agendar com bastante antecedência. As visitas guiadas são em espanhol e somente ocorrem de segunda à sexta. O Diego Minotto, autor do blog Meus Roteiros de Viagem, dá todo o caminho das pedras para conseguir fazer a visita. Leia aqui.

Para quem gosta de espetáculo cívicos, vale conferir a troca da guarda do palácio, que se realiza a cada dois dias, no horário de 10h às 10h45. Veja o calendário aqui.

Aproveite para visitar o Centro Cultural La Moneda, que fica no subsolo da Praça. Lá sempre há exposições e atividades culturais. Tem também cafeteria e lojinhas de artesanato chileno. </div>

Continue pela Calle La Moneda até a Calle Bandeira para admirar o prédio de 1917 da Bolsa de Comercio de Santiago, onde funciona a Bolsa de Valores. A arquitetura tem inspiração renacentista francesa e um desenho triangular.

Na sequência, siga pela rua Paseo Ahumada e vire na Calle Agustinas até o Teatro Municipal de Santiago. Vale tentar conseguir comprar ingressos para assitir a óperas, concertos ou ballets. Visitar o interior do teatro também é uma boa pedida. As visitas guiadas ocorrem somente às quintas e sextas de 11h30 às 13h. O valor do ingresso é $ 2.500 pesos chilenos (adultos) e $1.500 (crianças e terceira idade). Veja os detalhes aqui.

A Paseo Ahumada é a principal rua de comércio do centro de Santiago. Há diversas lojas de departamento, restaurantes, cafeterias e casas de câmbio. Não deixe de entrar em um dos famosos café con piernas. São cafeterias onde as garçonetes usam vestidos curtíssimos ou minissaias. Há vários cafés com piernas no centro da cidade, como a rede Haiti, uma das mais tradicionais. Aos domingos todo o comércio do centro da cidade fica fechado.

Continue caminhando pela Calle Agustinas até o Cerro Santa Lucía. Do alto da montanha é possível ver a Cordilheira e a arquitetura da cidade. Vá preparado para encarar os quase 300 degraus para chegar lá no alto!

Para quem prefere um tour mais rápido e com explicações in loco, os walking tours gratuitos pelo centro histórico de Santiago são uma ótima opção. Leia mais detalhes no post Conheça Santiago a pé: walking tours gratuitos pela cidade

View larger map

 

2° Dia: Cerro San Cristóbal, La Chacona, Museu de Belas Artes e Mercado

Pegue o metrô e desça na estação Baquedano. Passe pela Plaza Italia, atravesse o rio Mapocho e caminhe até o final da Calle Pio Nono para pegar o funicular que dá acesso ao Cerro San Cristóbal. O funicular funciona nas segundas, das 14h às 19h, e de terça a domingo, das 10h às 19h, sendo o último acesso às 18h30. O ingresso custa $ 1.800 pesos chilenos (adulto) e $ 1.100 (crianças), para o trajeto de ida e volta. Mais detalhes aqui.

O Cerro San Cristóbal integra o Parque Metropolitano de Santiago, considerado o maior parque urbano chileno. Além da grande área verde, lá funciona o Zoológico Nacional do Chile e existem piscinas públicas. No topo, há uma imagem de 14 metros da Imaculada Conceição. A vista de lá é incrível!

Chile

Se for um domingo, junte-se aos inúmeros ciclistas que sobem a colina e lá no alto tomam o mote com huesillos, bebida feita com pêssego natural desidratado e pedacinhos de trigo cozido.

Continue o passeio pela Calle Constitución em direção à La Chascona, uma das casas do famoso escritor chileno Pablo Neruda, ganhador do prêmio Nobel de literatura em 1971, localizada em Santiago e hoje transformada em museu. Leia mais detalhes no post La Chascona e Cerro San Cristóbal

Continue o passeio caminhando em direção ao Patio Bellavista, um shopping aberto com diversos restaurantes. Se não gostar de shoppings, almoce em um dos vários restaurantes da Calle Constitución. O Como água para chocolate é uma boa escolha.

Depois do almoço caminhe pelo Parque Forestal. O parque começa na estação do metrô Baquedano e vai até o Mercado Central, bem às margens do rio Mapocho. Por lá, dá para se sentir na Europa…

Dentro do parque fica o Museu de Bellas Artes, um belíssimo edifício que teve como inspiração o Petit Palais de Paris. Leia o post Museu Nacional de Belas Artes: esculturas, pinturas e arquitetura neoclássica em Santiago

Termine o passeio comendo uma centolla (carangueijo gigante), que é um dos pratos típicos da culinária chilena, no Mercado Central.


View larger map

 

3° Dia: Explorar os bairros de Vitacura e Las Condes

Comece o dia apreciando os prédios modernos do bairro de Vitacura. Caminhe pela avenida Isidora Goyenechea, entre as Calles El Bosque Norte e El Golf. Preste atenção nos escritórios e no vai e vem comercial da região.

Entre no emporio gourmet/restaurante Coquinaría, que fica no subsolo do Hotel W. Azeites trufado, foie gras, ervas finas, temperos exóticos… o difícil de sair de lá sem levar alguma coisa. Leia o post Coquinaria: emporio gourmet e restaurante em Santiago

Siga depois pela Avenida Vitacura até a Calle Nueva Costanera. O caminho não é o ideal para os pedestres, mas dá para ir caminhando. Qualquer coisa, é fácil pegar um táxi. A Calle Nueva Costanera é o point dos restaurantes moderninhos e badalados da cidade. As opções são inúmeras. Quer um conselho? Experimente o Boragó, Puerto Fuy ou Osadía.

No cruzamento entre a Calle Nueva Costanera e a Alonso de Córdova, rua conhecida como a Oscar Freire chilena, já dá para avistar as lojas de grandes grifes internacionais como Louis Vuitton, Longchamp, BCBG, Hermes, Salvatore Ferragamo, entre outras.

Rua Alonso de Córdova Rua Alonso de Córdova

Para continuar no clima de compras, parta para um dos vários shoppings: Costanera Center, em Providência, que dizem ser o maior shopping da América Latina; Parque Arauco e Alto Las Condes e Mall Sport, em Las Condes. Este último é um shopping com lojas voltadas para a prática de esportes e com as atividades esportivas disponíveis para os visitantes, como muro de escalada, pista de patinação no gelo, “arvorismo”, cama elástica, slack line


View larger map

 

4° Dia: Deguste vinhos em uma vinícola

No Chile, o que não falta são vinhedos e vinícolas. No país espremido pelo Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes, o clima, a diversidade de solos e as barreiras naturais, como a própria Cordilheira, propiciam a produção de vinhos de alta qualidade.

ChileViña Undurraga

Grande parte dos vinhedos ficam próximos a Santiago. Em uma viagem de 30 minutos ou 2 horas de carro, é possível visitar algumas das bodegas chilenas mais famosas.

Para uma experiência mais autêntica, fuja da legião de brasileiros que visitam diariamente a Concha y Toro ou a Cousiño Macul. Siga para vinícolas menores, mas não menos tradicionais e de excelente qualidade.

Leia os detalhes nos posts:

Valle de Casablanca: degustação de vinhos e almoço gourmet a poucos quilômetros de Santiago

Valle del Maipo: economize e vá por conta própria para a Viña Undurraga

Vale do Colchagua

5° Dia: Bate e volta para conhecer Valparaíso e Viña del Mar

Uma ótima opção de passeio nos arredores de Santiago é visitar as cidades de Valparaíso e Viña Del Mar. Dá para fazer um bate-e-volta no mesmo dia.

O Marcelo e a Polliana do blog Across the Universe contam os detalhes de como chegar lá por conta própria. Leia aqui.

Não deixe de visitar La Sebastiana, a casa-museu de Pablo Neruda na cidade de Valparaíso. Se tiver tempo, visite também a casa-museu Isla Negra, cerca de 110km de Santiago.

Siga o Nós no Mundo no Twitter: @nosnomundo

Siga o Nós no Mundo no Periscope - @nosnomundo.

No Instagram: @nosnomundo

E curta a nossa fanpage no Facebook: facebook.com/nosnomundo

Planeje sua viagem com a gente

Reserve seu hotel utilizando o Booking.com. Menor preço garantido! Se encontrar tarifa mais barata, eles reembolsam a diferença.

Alugue seu veículo com a RentalCars, a maior empresa on-line de aluguel de carros do mundo, e tenha o menor preço garantido!

Reserve uma casa pelo Airbnb e ganhe desconto no primeiro aluguel.

Compre moeda estrangeira com a Cotação. É seguro e você ganha descontos exclusivos!

* Reservando com os nossos parceiros através do Nós no Mundo, nós recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e, de quebra, ainda ajuda o Nós no Mundo a estar sempre atualizado.

Sobre Anna Bárbara

É louca por viagens! Nem acaba de chegar de uma viagem e já está pensando nas próximas (no plural, é claro!). Tem o passaporte carimbado em mais de 20 países e é apaixonada pela Ásia, ou melhor, por todos os destinos exóticos. Qual a melhor viagem? "Não há dúvida", diz ela, "a melhor viagem é sempre a próxima".

Deixe seu comentário:





* Campos de preenchimento obrigatório

** Ao enviar o seu comentário, você estará automaticamente concordando com a nossa Política de Comentários.