Roteiro de 5 dias em Hong Kong

1° Dia: Aprecie Hong Kong do alto

Para ter uma ideia do tamanho da cidade de Hong Kong e da grande quantidade de arranha-céus, comece o dia visitando o The Peak, a montanha mais alta de Hong Kong. Esta é a atração mais visitada na cidade. A vista é especular!

The Peak

Para chegar até lá, a melhor forma é pegar o The Peak Tram, um funicular que sai do Peak Tram Lower Terminus. Chegue cedo, de preferência antes de 10h, para evitar as longas filas. Leia mais detalhes no post The Peak: a melhor vista de Hong Kong

Depois de muitas fotografias, pegue o funicular de volta e siga caminhando até o Hong Kong Park, um oásis no meio dos arranha-céus. O parque é bem grande. Além de belos jardins com fontes, playgrounds e quadras esportivas, tem um aviário com mais de 600 pássaros e uma estufa com várias plantas e muitas borboletas (Forsgate Conservatory). Dentro do parque ficam ainda dois museus: Hong Kong Visual Arts Centre e o Museum of Tea Ware, este último especializado no estudo e coleção de chás. Se quiser tomar um chá, faça uma parada na LockCha Tea House, uma casa de chá que fica ao lado do museu.

Ao sair do parque, siga em direção ao Lippo Centre, um curioso prédio que mais parece um “transformer”. Aproveite também para fotografar o icônico prédio Bank of China Tower. Se quiser, dá para subir no Sky Lobby no 42° andar do Bank of China Tower, no horário de 9h às 17h. Continue a pé até o metrô Hong Kong e no caminho pare na praça da Bolsa de Valores (Exchange Square).

Hong Kong

Lippo Center à direita e Bank of China Tower à esquerda

Pegue o metrô na estação MTR Hong Kong e siga para a estação MTR Kowloon Station. Ao sair do metrô você já estará no shopping Elements, uma ótima parada para compras antes de visitar o observatório Sky 100, o observatório do 4° prédio mais alto do mundo. Depois suba os 100 andares e aproveite a vista! Assista lá do alto ao show de luzes que ocorre diariamente na Victoria Harbour às 20h. Veja mais informações sobre o Sky 100 no post Sky 100: o observatório do 4º prédio mais alto do mundo

2° Dia: Buda Gigante e Disneyland

Fica na ilha de Lantau o templo budista Po Lin Monastery e o Tian Tan Buddha, a maior estátua de Buda sentado ao ar livre da Ásia, duas grandes atrações turísticas de Hong Kong. Para chegar até lá, siga de metrô pela linha amarela MTR Tung Chung Line até a estação Tung Chung. Depois continue o trajeto no teleférico Ngong Ping 360, cuja entrada fica a uma curta caminhada da saída da estação do metrô Tung Chung. Esse teleférico é o mais longo da Ásia (longest bi-cable ropeway). São quase 6km percorridos em um passeio de 25 minutos.

Ao desembarcar do teleférico, siga caminhando por cerca de 10 minutos até o Buda Gigante. O Grande Buda tem 34 metros de altura e simboliza a harmonia do homem com a natureza. A mão direita elevada representa a sua benção a todos os visitantes. Se tiver fôlego, chegue bem pertinho do Buda subindo as escadas.

Bem próximo ao Grande Buda fica o Po Lin Monastery, o maior templo budista de Hong Kong. Não deixe de conhecer o seu interior rico em detalhes. Depois continue até o Caminho da Sabedoria (Wisdom Path), um local com várias colunas de madeiras com textos do Sutra do Coração (Heart Sutra), a mais conhecida escritura budista.

Lantau IslandLantau Island

No almoço, experimente os pratos vegetarianos servidos no Po Lin Monastery, de 11h30 às 16h30, ou faça uma refeição nos vários restaurantes de Ngong Ping Village, que ficam próximos ao teleférico.

Se estiver viajando com crianças, faça uma paradinha na Hong Kong Disneyland antes de voltar a Hong Kong. Para isso, pegue o teleférico de volta, embarque novamente no metrô  MTR Tung Chun e desça na estação MTR Sunny Bay. O parque não é tão grande como os de Orlando e os brinquedos não têm muita adrenalina, mas o clima mágico e feliz da Disney é o mesmo! Leia mais sobre o parque no post Hong Kong Disneyland: sim, existe!

Hong Kong Disneyland

Se não quiser ir à Disney, uma opção é ir para as vilas tipicamente chinesas de Tai O Fishing e Mui Wo. Tai O Fishing fica a 15 minutos de ônibus de Ngong Ping Village. Procure pelo ônibus route 21. Depois continue de ônibus ou siga de táxi até Mui Wo. Após passear pelo vilarejo, pegue o ferry de volta à Ilha de Hong Kong. O trajeto dura 55 minutos. Mais detalhes aqui.

Se à noite você ainda tiver disposição, siga para o rooftop bar do hotel Mandarin Oriental, chamado ToTT’s, para admirar os arranha-céus iluminados da Victoria Harbour. Por lá, há música ao vivo de terça a domingo.

3° Dia: Dia de feira e show de luzes

É incrível a quantidade de feiras de rua que existem em Hong Kong. Frutas, flores, comidas, antiguidades, artesanato e, é claro, falsificações baratas de produtos de grandes marcas internacionais. Há de tudo um pouco.

Comece no Flower Market. Desça na estação de metrô MTR Prince Edward Station (linha verde ou vermelha) e siga pela saída B2. Ou então desca na estação MTR Mong Kok East (linha azul) e siga pela saída C. O funcionamento é diário de 7h às 19h.

Siga caminhando até o Gold Fish Market, imperdível para quem gosta de aquários. Faça uma parada para conhecer o templo Kwun Yum Temple e depois volte às compras no Ladie’s Market e na Shoe Street. Leia o post Mercados de rua em Hong Kong: diversão, compras e pechinchas

Ladie's MarketUpper Lascar Row

Quando cansar das feiras, vá para o Langham Place Mall, um shopping moderno no bairro de Mong Kok.

No final do dia, siga para a orla Tsim Sha Tsui. Procure o melhor lugar em frente à baia para assitir ao espetáculo A Symphony of Lights, o maior espetáculo permanente de luzes e música do mundo. É de tirar o fôlego! Não deixe de caminhar pela Avenue of Starspara ver as estátuas de personagens importantes do cinema de Hong Kong, como Bruce Lee. Leia mais detalhes no post A Symphony of Lights: o melhor espetáculo de Hong Kong é gratuito!

Se sobrar empolgação, vá para Lan Kwai Fong, onde ocorrem os agitos noturnos. Há um bar ao lado do outro e muitas pessoas caminhando de um lado para outro. Muitos têm DJs, pista de dança, música ao vivo e não cobram para entrar.

4° Dia: Causeway Bay

Recupere as energias passeando pelo parque Victoria Park. Se chegar cedo dá até participar de uma aula de tai chi chuan. As aulas são gratuitas e os mestres têm a maior paciência para explicar os movimentos, mesmo que você faça tudo absolutamente errado…

Tai Chi Chuan no Victoria Park

Conheça os templos de Lin Fa Kung e Tin Hau, que ficam próximos ao parque. Depois siga para o burburinho da Times Square, um complexo com muitas lojas, neon e outdoors.

Quando bater a fome vá ao restaurante The Art of Chinese Tit Bits Ltd, que fica no bairro Happy Valley (end: 63 Shing Woo Road, Happy Valley). O restaurante é especializado em dim sum, que são bolinhos de massa bem fina em geral cozidos no vapor em um tipo de cesta de bambu. Uma dica: sente longe da cozinha e não vá ao banheiro. Como diria um amigo, se não for sujinho não é restaurante chinês. Leia mais informações no post Autêntico restaurante chinês em Hong Kong: vai encarar?

Outra opção é ir até o porto de Aberdeen e comer em um dos restaurantes flutuantes.

5° Dia: Macau

Faça um bate-e-volta até Macau para conhecer a cidade chamada de Las Vegas da Ásia. Faltou tempo para irmos até lá, mas a Adriana Miller, do blog Dri Everywhere e a Mirella, do blog Mikix, foram para lá e contam tudo nos posts Os cassinos de Macau e a Cotai Strip e Um dia perfeitinho em Macau (bate-e-volta de Hong Kong).

Siga o Nós no Mundo no Twitter: @nosnomundo

Siga o Nós no Mundo no Periscope - @nosnomundo.

No Instagram: @nosnomundo

E curta a nossa fanpage no Facebook: facebook.com/nosnomundo

Planeje sua viagem com a gente

Reserve seu hotel utilizando o Booking.com. Menor preço garantido! Se encontrar tarifa mais barata, eles reembolsam a diferença.

Alugue seu veículo com a RentalCars, a maior empresa on-line de aluguel de carros do mundo, e tenha o menor preço garantido!

Reserve uma casa pelo Airbnb e ganhe desconto no primeiro aluguel.

Compre moeda estrangeira com a Cotação. É seguro e você ganha descontos exclusivos!

* Reservando com os nossos parceiros através do Nós no Mundo, nós recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e, de quebra, ainda ajuda o Nós no Mundo a estar sempre atualizado.

Sobre Anna Bárbara

É louca por viagens! Nem acaba de chegar de uma viagem e já está pensando nas próximas (no plural, é claro!). Tem o passaporte carimbado em mais de 20 países e é apaixonada pela Ásia, ou melhor, por todos os destinos exóticos. Qual a melhor viagem? "Não há dúvida", diz ela, "a melhor viagem é sempre a próxima".

Deixe seu comentário:





* Campos de preenchimento obrigatório

** Ao enviar o seu comentário, você estará automaticamente concordando com a nossa Política de Comentários.